Boa noite. 12 de Dezembro de 2017
27°MIN. 
33°MÁX.
RONDONÓPOLIS - MT
  • Curta no Facebook
  • Siga no Instagram
  • Siga no Twitter


Veículos poderão ser identificados em tempo real pela PM de Rondonópolis

Fonte: Reportagem - Primeira Hora com assessoria | Publicado em: 22/04/2014 às 21:47
  • Compartilhe


Foto: Ilustrativa/reprodução

O sistema de fiscalização eletrônica que já está todo instalado e atualmente passa por uma fase de testes elétricos nas ruas de Rondonópolis, tem mais um recurso além de coibir veículos em velocidade acima do permitido. Os equipamentos vão dar aos órgãos responsáveis pela segurança pública mais uma arma contra a criminalidade nas ruas. Nos últimos dias, o secretário de Transporte e Trânsito, Argemiro Ferreira, se reuniu com membros do Gabinete de Gestão Integrado – GGI para ouvir dos comandantes das Polícias locais onde seriam os pontos estratégicos para instalação de softwares OCRs, sistemas inteligentes capazes de alertar em tempo real veículos irregulares que estejam transitando, como oriundos de roubos, por exemplo.

 

De acordo com explicação dada pelo secretário, com uma base de dados aonde vão se somar arquivos da Polícia e do Detran, o videomonitoramento não será um mero captador de imagens, mas um sistema digital de vigilância 24 horas. “Estes 15 softwares estão inclusos no edital das lombadas eletrônicas. São aparelhos digitais de alta precisão que vão ser instalados conjuntamente aos radares e que são capazes de identificar caracteres dentro de uma imagem tradicional, ou seja, em vídeo ou foto, e transformá-los automaticamente em texto editável para computador”, ressaltou Argemiro, que complementou ainda: “com isso, assim que for registrado um carro, a placa será levada ao sistema e apresentada em tempo real no Ciosp. Se este veículo for Finan, proveniente de roubo ou com ordem de prisão, a polícia saberá por meio de alerta e poderá interceptá-lo”.

 

Em casos de roubos, Argemiro afirma que o sistema será um importante auxiliar na busca dos suspeitos, já que o GGI definiu por instalá-los nas entradas e saídas da cidade. “O cidadão que tiver o seu carro roubado, poderá se dirigir até a polícia, fazer o Boletim de Ocorrência e simultaneamente terá a oportunidade de contar com a rapidez na resposta, já que pelo OCR e as câmeras instaladas estrategicamente será mais fácil saber para que rumo este veículo se dirigiu. Logo, a própria PRF será acionada com informações mais precisas quanto ao trajeto assumido pelos criminosos”, exemplificou.

 

Em outra hipótese do roubo, principalmente no caso das motos, do veículo permanecer em Rondonópolis, a chance de recuperação é quase que certa, na visão de Argemiro. “Se o veículo permanecer em nossa cidade fica ainda mais fácil. Constando a irregularidade no sistema, quando este carro ou moto roubada passar pelo OCR a polícia será alertada naquele exato momento e a guarnição mais próxima poderá capturar. A polícia não precisará mais trabalhar com o meio aleatório, pois terá um meio de precisão”, argumentou.

 

Detalhamento da Fiscalização

 

O secretário contou que na reunião com o GGI também tratou de detalhar que não haverá nenhum tipo de cobrança para carros oficiais, que por acaso foram registrados acima da velocidade permitida. “Obviamente que não haveria sentido algum uma multa ser emitida para uma ambulância que esteja acima dos 40 km/h para levar um paciente ao socorro nas unidades de saúde, bem como limitar a perseguição de uma viatura policial a um carro suspeito. Qualquer veículo oficial que tenha a necessidade de empregar velocidade na sua rotina diária não será objeto da fiscalização”, esclareceu.




* Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!