Veículos roubados na Bolívia começam a ser devolvidos ao Brasil

Fonte: Da Assessoria

Já está em Mato Grosso do Sul o primeiro lote de 397 carros roubados no Brasil e que foram repatriados pelo governo boliviano. Destes, 55 são de Mato Grosso. A lista dos proprietários dos veículos recuperados e que são de MT deve ser divulgada, ainda esta semana, pelo deputado federal Wellington Fagundes (PR/MT) e deputado estadual Emanuel Pinheiro (PR/MT).

 

A entrega deve começar logo após a notificação dos proprietários, que devem comparecer ao pátio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), em Campo Grande (MS), para reaver o veículo.

 

Com cerca de 720 quilômetros de fronteira seca com a Bolívia, Mato Grosso encabeça a lista dos estados que mais possuem carros irregulares no país vizinho, seguido de São Paulo, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Acre e Paraná. “Esta é nossa maior preocupação: intensificar o trabalho realizado na fronteira para inibir tanto o roubo de veículos no país, quanto o tráfico de drogas. Acredito que um crime está diretamente relacionado ao outro, já que carros são trocados por entorpecentes naquele país”, destacou Fagundes.

 

Reconhecido pelo trabalho que tem feito na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, o deputado Emanuel Pinheiro é autor da iniciativa que acusa o governo boliviano de tentar, com a edição da Lei nº 133, legalizar carros roubados no Brasil e levados para a Bolívia. O parlamentar articula, em conjunto com a bancada federal de Mato Grosso no Congresso, para impedir a vigência desta lei.

 

“Valeu a pena nossa luta. Hoje colhemos os frutos desse trabalho e, graças a Deus, a famigerada Lei boliviana, que legalizou os carros irregulares no território daquele país está revogada e é coisa do passado”, reiterou Pinheiro.

 

VEÍCULOS ROUBADOS

 

A Polícia Federal calcula que existam pelo menos 4.500 veículos brasileiros levados ilegalmente ao país vizinho. A maioria dos automóveis roubados no Brasil é proveniente de estados que fazem fronteira com outras nações. Anteriormente, os carros estavam sendo nacionalizados em território boliviano, mas um acordo entre os dois países permitiu a devolução.

 

Depois de notificados, os proprietários dos automóveis que não se manifestarem num prazo de dois meses terão os veículos leiloados pelo governo brasileiro.

 


Comentários