Brasileira fica 9 horas atolada na neve nos EUA

Foto: G1
Brasileira ficou presa na neve enquanto voltava de Miami para Chicago
Fonte: G1

A brasileira Ana Luiza Cruz, de 23 anos, mora nos Estados Unidos desde abril de 2012 e nunca passou tanto frio e medo quanto no último domingo (5), por conta da nevasca que atinge o país. Em meio à rigorosa frente fria, Ana Luiza quase "congelou" dentro de um carro, no qual ficou presa por mais de 9 horas, perto de Chicago.


A jovem vive em Crystal Lake, no subúrbio de Chicago, e havia passado férias em Miami com uma amiga polonesa, que também estava no veículo preso na neve. No retorno para casa, em um trajeto de quase 2.300 km, Ana Luiza precisou desviar sua rota, por causa de um bloqueio na estrada. Foi então que o desespero dela começou.

 

O bloqueio foi ocasionado por um caminhão com produtos químicos, que tombou devido a uma tempestade de neve. Quando pegamos um caminho alternativo, atolamos mais de três vezes, junto a outros carros. Até a polícia estava tendo dificuldades para se locomover. Foram mais de 9 horas desde o momento em que mudamos a rota até o resgate", contou Ana Luiza, que enviou seu relato via VC no G1

 

"Andávamos poucos metros e já atolávamos novamente, era muita neve, vento e neblina. Tentávamos sair do carro para limpar o vidro ou empurrar o veículo, mas o frio era tanto que não conseguíamos. Na última vez que atolamos, bloqueamos a pista, porque o carro derrapou com a neve, bloqueando os dois lados da rodovia", revelou Ana Luiza.
A jovem disse que, com a ajuda de outras pessoas que estavam no local e de tratores que limpavam a neve na região, ela conseguiu deslocar o carro para o acostamento e aguardar o resgate. Mesmo assim, as horas foram passando e o medo dela e da amiga foi aumentando.


"A gasolina estava acabando, a temperatura começou a cair. Começou a formar gelo na parte de dentro do carro. Estávamos sem comida, sem água, e ligando e desligando o carro, para economizar o combustível. Tivemos que aguentar o frio só com as finas camadas de roupa", destaca a jovem.

 

Após mais de nove horas, policiais conseguiram chegar até o local onde as duas garotas estavam e as levaram para um abrigo improvisado em Tipton, no estado de Indiana.


"Por milagre, um policial nos resgatou. Ele disse que se nossa gasolina tivesse acabado, demoraria aproximadamente 10 minutos para nosso congelamento dentro do carro. Fomos levadas para um abrigo improvisado no estado de Indiana, onde fomos muito bem recebidas, nos deram comida, cobertores e ajuda", diz Ana.


A brasileira destaca que muitas pessoas foram levadas para o abrigo, já que várias estavam ficando sem comida e a cidade estava toda interditada devido à tempestade. No entanto, retrata que apesar da ajuda, passou frio no local, já que dormia em uma quadra com espaço aberto e o aquecedor local não era suficiente para o frio que fazia.


"Foram horas de tensão e desespero, não tínhamos noção de quão grave era situação, até vermos quantas pessoas foram resgatadas e a preocupação da policia em fazer isso o mais rápido possível, porque com a temperatura tão baixa, o risco de congelamento era muito alto", relata a brasileira.

 

Ana Luiza conseguiu retornar para sua casa nesta quarta-feira (8), já que o tempo no local melhorou e parou de cair a "grossa camada de neve". Entretanto, viu no caminho de volta vários acidentes e rodovias ainda interditadas.


"Foram mais de 40 horas no carro desde que saímos de Miami e quase três dias no abrigo esperando a liberação. Demoramos 9 horas de Indiana para Chicago, o que era para ter levado por volta de 3 horas. Muito gelo, trânsito lento e muitos acidentes na pista, além de rodovias interditadas", conta.

 


Comentários