Bom dia. 17 de Agosto de 2017
19°MIN. 
39°MÁX.
RONDONÓPOLIS - MT
  • Curta no Facebook
  • Siga no Instagram
  • Siga no Twitter


Soja Livre se tornará associação em 2017

Fonte: Ascom Aprosoja | Publicado em: 19/05/2017 às 09:17
  • Compartilhe


O projeto Soja Livre, que visa fomentar o cultivo de soja convencional em Mato Grosso, se tornará uma associação ainda em 2017. A mudança tem o objetivo de ampliar a abrangência da iniciativa e aperfeiçoar as ações – que estão sendo remodeladas.

 

“Apesar da mudança, manteremos a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) na coordenação, em parceria com produtores de sementes e empresas. O foco continua o mesmo: garantir que haja possibilidade de escolha no mercado da sojicultura brasileira”, observa o presidente da Aprosoja, Endrigo Dalcin.

 

Com a predominância da soja transgênica nas lavouras brasileiras, os compradores da “soja livre” pagam um prêmio pelo produto diferenciado, que vem sendo demandando de forma crescente pelos mercados europeus e asiáticos. Atualmente, esse prêmio está, em média, em R$ 12,00 por saca.

 

Apesar da rentabilidade, o cultivo de soja convencional esbarra em dois desafios. O primeiro é dispor da estrutura necessária para produção, armazenagem e transporte da “soja livre”, uma vez que precisa ser segregada da variante geneticamente modificada. “Essa estrutura implica em custos adicionais, cujo monitoramento não é feito hoje de forma detalhada”, comenta Dalcin.

 

Para resolver isso, o projeto solicitou ao Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) que passe a fazer o levantamento dos custos de produção e da estimativa de safra de soja convencional em Mato Grosso. “Temos dados conflitantes hoje, e sabemos da importância de dispormos de informação qualificada para ajudar os produtores em sua tomada de decisão”, afirma Dalcin.

 

O segundo desafio é encontrar sementes convencionais disponíveis. “E é por isso que o Soja Livre precisa da participação das sementeiras. É uma iniciativa integrada”, observa Roseli Giachini, doutora em Fitopatologia e coordenadora do projeto na Aprosoja. Além da Aprosoja e da Embrapa, são parceiros do Soja Livre as empresas Imcopa, Caramuru, Sementes Arco-Íris, Codeagri, Aprosmat, Ypameri Sementes, Sementes Eliane, Sementes Quati e Bolsa de Sementes e Agronegócios.




* Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!