Bom dia. 24 de Maio de 2017
21°MIN. 
35°MÁX.
RONDONÓPOLIS - MT
  • Curta no Facebook
  • Siga no Instagram
  • Siga no Twitter


Trollagem e gafes da Globo News causam constrangimento geral

Fonte: R7 | Publicado em: 19/05/2017 às 09:48
  • Compartilhe


Foto: reprodução

A gafe de William Bonner no "Jornal Nacional" de quarta-feira (17), ao noticiar de última hora toda a delação envolvendo o presidente Michel Temer (PMDB) está longe de ser a única em dias confusão no jornalismo.

 

Bonner, em um ato falho, chamou Michel Temer de "ex-presidente" durante o noticiário.

 

Nesta quinta-feira (18), internautas atribuíram a Globo News (que tem feito uma grande cobertura do caso) um erro grotesco no GC (gerador de caracteres) no noticiário político. Ao noticiar o caso, o canal pago teria afirmado, através do GC, que o atual presidente deu “anal” para compra de silêncio de Eduardo Cunha. A palavra em questão era "aval". A imagem com o suposto erro segue circulando na web. Mas alguns dizem ser fake, uma montagem.

 

Fake ou não, na Globo, os protestos ao vivo foram inevitáveis.

 

Em Brasília, Zileide Silva teve sua passagem ao vivo invadida por manifestante com placas de protesto.

 

Na quarta-feira, um manifestante se colocou atrás de Zileide com uma folha de papel na qual se lia “Eu votei na Dilma”. O cinegrafista tentou se esquivar da moça, mas não conseguiu.

 

A cobertura também teve gargalhada no ar.

 

Durante telejornal “Edição das 18h”, de ontem, na Globo News, a apresentadora Leilane Neubarth – que estava fora do vídeo – deu uma gargalhada enquanto a jornalista Cristiana Lôbo noticiava ao vivo, diretamente de Brasília, que os irmãos Joesley e Wesley Batista – donos da JBS – denunciaram Temer por aprovar a compra do silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha, preso em Curitiba – PR (veja o vídeo no final da publicação).

 

Já na tarde desta quinta-feira (18), foi a vez de manifestação na GloboNews. Enquanto o repórter Nilson Klava falava num link ao vivo direto de Brasília, um manifestante colocou dos cartazes logo atrás dele.

 

Um dizia “diretas já!” e, o outro, “fora Temer”.






* Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!