Bom dia. 24 de Maio de 2017
21°MIN. 
35°MÁX.
RONDONÓPOLIS - MT
  • Curta no Facebook
  • Siga no Instagram
  • Siga no Twitter


Manejo fisiológico é fundamental para proteção e rendimento nas culturas

Fonte: Da Assessoria | Publicado em: 19/05/2017 às 10:16
  • Compartilhe


Foto: Assessoria Supervisor Fernando Bazzi realizando atendimento em Sorriso

Recentemente, a Fast Agro, empresa nacional que fabrica e comercializa produtos de fisiologia e nutrição de plantas, lançou uma nova campanha para um dos principais produtos de seu catálogo, o Arrank. O trabalho reforça a importância do manejo fisiológico das culturas para o alcance de altas produtividades e destaca benefícios que o produto oferece, como a segurança tão fundamental para a lavoura, já que o campo está sujeito à estresses diários, como é o caso da falta de chuvas.

 

A empresa demonstra aos produtores rurais a geração de valor do Arrank para o agronegócio brasileiro, nas culturas de soja, feijão, arroz, trigo, milho e algodão. Nas sete safras de presença no mercado o produto mostrou seus diferenciais no tratamento de 1.048.664,042 hectares de lavouras nas culturas em que atua.

 

Conforme Giovani Rossi, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da Fast Agro, o Arrank confere à planta desenvolvimento e crescimento inicial mais rápido e vigoroso, além de maior resistência para suportar o estresse hídrico e de altas temperaturas. “Os resultados do Arrank são comprovados no campo, o incremento médio na produtividade da soja chega a 3,42 sacas por hectare. O estímulo hormonal que ele proporciona traz mais segurança e maior produtividade para o produtor”, esclarece.

 

Em Tapurah, no médio norte de Mato Grosso, o Arrank já é utilizado há três safras na propriedade rural de Elson José Tirloni Junior, onde cultiva soja, milho safrinha e arroz. Ele conta que no primeiro ano, quando testou o produto em soja, colheu quatro a cinco sacas a mais, em torno de 15% de incremento na produtividade. Depois disso usa em 100% da área nas três culturas, na safra 2016/17 em 1.150 ha da oleaginosa, 500 ha de milho e 400 de arroz. “É um produto de ótima qualidade, principalmente em situações de estresse hídrico. A planta fica com mais vigor, mais saudável, com enraizamento mais profundo e quando falta água responde mais rápido na recuperação”, pontua.

 

Assim como comprovou o produtor de Tapurah, a ação do Arrank acontece desde a germinação até a fase adulta da planta, induzindo ela a aumentar a produção de hormônios relacionados ao desenvolvimento e crescimento. “A grande vantagem fisiológica em induzir o aumento da síntese hormonal (ao invés de fornecê-los de forma direta), consiste no fato de que a planta “decide” qual tipo de hormônio será produzido, em função da sua necessidade momentânea decorrente do seu estádio de desenvolvimento, condições edafoclimáticas, entre outros”, explica Giovani Rossi.

 

Desta forma, com Arrank a planta terá sempre os hormônios que realmente precisa, porém, em concentrações maiores, potencializando os processos fisiológicos requeridos. Ressalta-se ainda a ação marcante do produto no aumento da tolerância das plantas às condições de baixa disponibilidade hídrica, pois reduz a perda de água da planta e aumenta o sistema radicular, logo, o volume de solo explorado.

 

Graças a constante adequação hormonal e potencialização dos processos fisiológicos, constata-se o aumento na porcentagem de germinação, emergência mais rápida e uniforme e maior desenvolvimento inicial, resultando na redução de falhas na lavoura, plantas mais desenvolvidas (parte aérea e sistema radicular), ramificadas e uniformes durante todo o ciclo da cultura.

 

O produtor rural Alisson Picinin, de Sorriso (MT), apostou no Arrank nesta safra, no plantio de soja, arroz e milho. Ele explica que começou a usar o produto na soja, em uma parcela pequena, cerca de doze hectares. O resultado foi excelente, segundo ele, com acréscimo de 11% na população de plantas e incremento de produtividade de quase três sacas por hectare colhido. No milho, a avaliação final será após a colheita, mas o produtor conta que já é perceptível a diferença de uniformidade das plantas e das espigas nas áreas de Arrank em relação a testemunha. “No arroz, colocamos 300 hectares, não fizemos avaliação completa, mas foi muito visível que ficou melhor com o produto”, contou Alisson.

 

Geração de valor

 

Desde que chegou ao mercado, a Fast Agro já comercializou mais de 157,2 mil litros do Arrank, através de sua rede de supervisores comerciais e revendas que levam o produto ao consumidor final, o produtor rural. Para cada hectare o ganho líquido do produtor é de 2,92 sacas, o que equivale a 3,06 milhões de sacas neste período. No resultado financeiro o Arrank gerou incremento líquido de quase R$ 200 milhões.

 

A empresa – A Fast Agro atua desde 2009 no mercado de produtos de fisiologia e nutrição de plantas, é uma empresa 100% brasileira e possui centro de pesquisa e desenvolvimento próprios. Conta com 26 centros de distribuição por todo o Brasil, além da Argentina e do Paraguai, facilitando assim a chegada das soluções ao campo. Seu portfólio contempla 26 produtos exclusivamente produzidos pela Fast Agro, com certificação ISO 9001, um dos motivos que consolidaram o alto índice de recompra e a confiabilidade do produtor rural. A empresa lidera ainda a Gênica, empresa de biotecnologia que pesquisa, desenvolve e produz soluções biológicas para o campo, localizada no Agtech Valley, Parque Tecnológico da Esalq, em Piracicaba (SP). 






* Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!