Boa noite. 22 de Janeiro de 2018
22°MIN. 
36°MÁX.
RONDONÓPOLIS - MT
  • Curta no Facebook
  • Siga no Instagram
  • Siga no Twitter
  • :
  • :


Entidades querem fórum e frente parlamentar em defesa da universidade pública

Fonte: Da Assessoria | Publicado em: 12/12/2017 às 16:26
  • Compartilhe


Foto: Karen Malagoli Veiga/ALMT

Durante ato realizado nessa terça-feira (12) a partir de um requerimento do professor e deputado Allan Kardec (PT), diversas entidades decidiram criar um fórum e lutar pela instalação de uma frente parlamentar em defesa da universidade pública.

 

A criação do fórum tem objetivo de manter as ações em defesa do ensino público, gratuito e de qualidade diante das tentativas do governo Michel Temer em repassar as universidades públicas para organizações sociais. Isso representa na prática a privatização do ensino superior no país.

 

Um dos atos que já estão previstos e foram definidos nessa terça é um grande encontro previsto para o início de 2018. O objetivo é reunir toda a comunidade acadêmica da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), centrais sindicais, além da sociedade em geral

 

“Temos que nos unir em defesa desse nosso patrimônio que é o ensino público, gratuito e de qualidade, pois a agenda política desse governo é vender todas as nossas universidades”, afirmou Allan. Como deputado, ele vai buscar apoio de outros parlamentares para criar uma frente em defesa do ensino superior.

 

Presidente da Associação de Docentes da UFMT (Adufmat), Reginaldo Araújo, ressalta a qualidade das universidades públicas. “Se pegarmos as 100 faculdades com as maiores notas no país, teremos apenas quatro ou cinco que são particulares. E mesmo assim temos essa tentativa de vender nosso patrimônio”.

 

João Dourado, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), afirma que a luta em defesa do ensino público deve ser de toda a sociedade. “Por isso é importante termos essa fórum e a frente parlamentar para que possamos reunir a sociedade em defesa das nossas universidades”. Para o maestro Fabrício Carvalho, que representou no ato a reitora da UFMT, Miriam Serra, a união é importante porque as forças conservadores do país estão unidas contra o ensino público.

 

Participaram ainda do ato a coordenadora Leia de Souza Oliveira e outros filiados ao Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativo (Sintuf), que ajudou na organização do evento realizado na Assembleia, representantes do IFMT, Vinícius Brasilino, da União Nacional dos Estudantes (UNE) e do Conselho Estadual de Educação, Carlinhos Eilert, do Conselho Regional de Educação Física (Cref), a suplente de deputada federal Jusci Ribeiro (PT), o professor Francisco Xavier, outros.




* Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!